Temer sinaliza o corte em 200 mil bolsas de estudo e ameaça gravemente a Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil

O Governo Temer elaborou com Projeto de Lei Orçamentária (PLOA) referente a 2019 que indica um corte de R$580 milhões nas bolsas CAPES no Brasil.

A medida afetará a pós-graduação, a formação de professores (profissionais da educação básica) e a Universidade Aberta do Brasil, o Programa de Mestrado Profissional para Professores da Rede Pública da Educação Básica, além de impactar diretamente colaborações internacionais. Não são apenas novas bolsas que serão cortadas, mas pesquisas e programas em andamento serão interrompidos e fechados.

Esse é mais um dos golpes do ilegítimo Governo Temer, que aprovou a EC 95, a Emenda do Fim do Mundo, que congela investimentos em saúde, CT&I e educação pelos próximos 20 anos.

Já sabemos que o Brasil é um país com baixo desenvolvimento científico e tecnológico. Não fosse assim, não seríamos dependentes da importação, inclusive de maquinário para a produção interna, como é o caso da indústria automobilística.

Nossa economia é dependente da exportação de commodities, sustentada em especial pelo agronegócio, ou seja exportamos manufatura e importamos tecnologia de ponta.
Porém, ao mesmo tempo, nossa ciência que existe é fundamental e já nos colocou em um cenário de competitividade, como é o caso das pesquisas sobre o Zika Vírus, os aviões da Embraer, a própria Embrapa e suas ações de melhoria no cultivo de alimentos e a tecnologia do Pré-Sal.

A falta de investimento em inovação compromete nosso futuro e nos deixa vulnerável em um cenário internacional cada vez mais competitivo e com diversos países em desenvolvimento avançando fortemente. Sem CT&I, deixaremos de ser o país do futuro e voltaremos a um passado ainda mais desigual e perverso.

O que será que vem pós o fim do mundo? O futuro com Temer nos reserva amargas surpresas.